Tire já 7 principais dúvidas sobre o fluxo de caixa

Tire já 7 principais dúvidas sobre o fluxo de caixa

O fluxo de caixa é uma ferramenta extremamente importante para o gerenciamento e controle financeiro da sua empresa. Pensando nisso, desenvolvemos este artigo, trazendo as principais dúvidas dos empresários sobre o tema, acompanhadas das explicações do nosso time de especialistas.

Se você é empresário e quer agregar informações relevantes para a gestão estratégica do seu negócio, continue a leitura e descubra como a contabilidade pode tornar-se sua aliada.

1. O que é fluxo de caixa?

O fluxo de caixa é uma ferramenta de gerenciamento utilizada com o objetivo de organizar e controlar o fluxo de entrada e saída de dinheiro no caixa da empresa.

O monitoramento das informações costuma ser feito com uma periodicidade mensal. Assim, ao final do mês, a empresa faz o fechamento do caixa e verifica as movimentações que ocorreram durante o período. No primeiro dia do mês seguinte, inicia-se um novo ciclo de controle.

Vale destacar que são considerados como “entradas” todos os valores recebidos por meio da comercialização de produtos, serviços, venda de ativos e bens e quaisquer valores que ingressem para o caixa da empresa. Já as “saídas” se referem a todos os valores destinados a pagamentos, à compra de matérias-primas, a aluguéis, custos fixos, variáveis, etc.

Além das entradas e saídas, o fluxo de caixa prevê a checagem das informações relativas aos saldos em caixa e nas contas bancárias da empresa.

2. Para que serve?

A principal utilidade do fluxo de caixa é a organização financeira da empresa. Além de ser um instrumento de controle, também oferece dados que podem ser utilizados para o planejamento do negócio.

Como a ferramenta apura e projeta o saldo disponível, ela também permite garantir que sempre haja capital de giro acessível.

Além disso, por meio da elaboração do fluxo de caixa, o empresário tem uma visão tanto da situação atual quanto do futuro do negócio, oferecendo dados que permitam avaliar a disponibilidade de caixa e a liquidez da empresa.

Dessa forma, serve para antecipar decisões e necessidades, como redução de despesas, planejamento de investimentos, liberação de estoque, solicitação de empréstimos, pedidos de aumento de prazo com fornecedores, viabilidade de concessão de prazos de pagamento para clientes, entre outras.

3. Como funciona?

Ele funciona de uma maneira bem simples, desde que sejam respeitados os critérios de controle e registro completo das informações.

Para fazer o fluxo de caixa, é necessário realizar o registro de todas as entradas e saídas de dinheiro, mesmo as de menor valor. Nesse sentido, o resultado será o saldo disponível que é apurado por meio da diferença entre o valor total de recebimento e pagamentos realizados em um determinado período de tempo.

A sua estrutura é variável e costuma ser adaptada de acordo com as características e necessidades da empresa e dos seus gestores.

De uma forma ampla, ele pode ser composto pelos seguintes passos:

  1. registro diário de todas as entradas e saídas;
  2. projeção de pagamentos e recebimentos futuros;
  3. verificação diária do saldo;
  4. análise do saldo estimado em períodos futuros.

Em uma situação de déficit no fluxo de caixa, seja atual ou futuro, o gestor terá condições de avaliar a necessidade de utilização do capital de giro, atuando de forma preventiva. Já em casos em que ocorra o superávit, igualmente será possível avaliar a viabilidade de investir ou aplicar os recursos financeiros em benefício da organização.

4. Qual a sua importância para o negócio?

É possível afirmar que o fluxo de caixa é um instrumento imprescindível para o negócio, já que traz informações que garantem um mapeamento das movimentações financeiras da empresa, indicando o caminho que está sendo feito pelo dinheiro e trazendo dados que permitem o direcionamento inteligente dos recursos.

Essas informações permitem, também, a identificação de possíveis desperdícios e favorece o direcionamento dos recursos dentro da empresa. Além disso, possibilita a avaliação da performance da organização com base nas metas estipuladas.

Ainda, a elaboração do fluxo de caixa facilita o controle de gastos e investimentos, permite um monitoramento mais adequado dos recebimentos, ajuda a identificar as melhores fontes de recursos financeiros, traz um panorama econômico completo, favorece a verificação e o monitoramento dos saldos e oferece suporte a outros registros financeiros e relatórios do negócio.

5. Por que é necessário controlar o fluxo de caixa?

Como você pode ver ao longo deste artigo, o controle do fluxo de caixa é uma ação extremamente importante para o controle e a gestão das informações financeiras do negócio. Sem esse controle, o empresário não tem condições de realizar uma avaliação concreta acerca da situação financeira da empresa, e fica impossível prever, planejar e investir no crescimento da organização empresária.

6. Quais são os principais erros no fluxo de caixa e como evitá-los?

São três os erros mais comuns na realização do fluxo de caixa das empresas. O primeiro é a parcialidade das informações. Muitos gestores se “esquecem” de incluir alguns dados sobre entradas e saídas de valores, especialmente quando se tratam de importâncias de menor valor. Esse erro faz com que o resultado não traduza com exatidão a realidade vivenciada pela empresa.

Dessa forma, para evitá-lo, é necessário abranger todas as movimentações, incluindo orçamento disponível e plano de negócios.

O segundo erro é a ausência de um inventário para organização das informações, que é realizado mediante um levantamento de custos fixos e variáveis, receitas a receber, receitas em caixa e investimentos previstos. Essas informações devem estar documentadas, pois fazem parte do fluxo de caixa.

Por fim, o terceiro erro é a ausência de um cronograma para análise dos relatórios e dados. Muitos gestores realizam o fluxo de caixa, mas não dedicam um tempo para análise das informações por ele geradas. Sem análise, fica impossível usufruir das vantagens oferecidas em termos de planejamento  para a empresa.

7. Como implementar o fluxo de caixa na sua empresa?

A implementação do fluxo de caixa na sua empresa deve partir da análise de todas as informações do negócio. É necessário realizar um mapeamento completo das entradas e saídas, levando em consideração até mesmo os gastos que possam parecer irrelevantes.

Após a coleta dessas informações, a dica é que você conte com o auxílio de uma consultoria contábil, que poderá avaliar tecnicamente o tipo de metodologia e sistema de controle que melhor se adapta ao seu negócio.

Definido esse sistema, basta colocar em prática a gestão e o controle das informações, com a aplicação das dicas trazidas neste artigo. Lembre-se de que o segredo de um bom fluxo de caixa é o controle, a periodicidade e a exatidão das informações. Por isso, invista nesse tripé e você obterá excelentes resultados no planejamento financeiro da sua empresa.

Agora que você já conhece melhor o fluxo de caixa, que tal aprofundar o seu conhecimento? Assine a nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos sobre gestão e contabilidade e comece a investir no desenvolvimento do seu negócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Fale com a gente